Querida Pugli: Sobre ser gorda e ficar bem

Essa semana os feeds das minhas redes sociais foram invadidos pela Gabriela Pugliesi (a musa fitness), com um  vídeo tirado do seu snap chat, nele ela sugeria (brincadeira ou não) que para se manter na dieta uma boa tática era enviar nudes para sua melhor amiga e caso você engordasse ela teria autorização de jogar tudo na rede. Brincadeira ou não essa idéia nem deveria ser cogitada por motivos de: ser bizarra. Mas se o ~snap~  existisse quando eu tinha 15 anos certamente iria achar essa idéia incrível.

Deixa eu contar minha história com o meu corpo:

Meu corpo sempre teve contornos arredondados: quadril largos, ombros largos, bunda grande e braço gordinho (até tenho uma cinturinha mas nada que me faça ter perfil de modelo) quando eu tinha 14 anos comecei a estudar mais sobre moda, ver desfiles e ter contato com modelos e como qualquer outra adolescente eu queria parecer uma modelo.

Com 15 anos esse desejo ficou mais urgente, eu me “apaixonei” pelo menino mais gato e popular da escola, nessa época eu era a patinho feio: cabelo cacheado, gordinha e com umas roupas estranhas. Mas estava decidida a ser minha própria fada madrinha e me tornar um cisne lindão e comecei uma dieta + exercícios que eu mesma inventei: Ia e voltava andando pro curso de inglês (uns 12 quarteirões no total), chegava em casa e já ia pra esteira (mais 40 minutos), não comia quase nada e ficava bem fraca. Algumas vezes eu tinha ataque de comilança, sentava no chão da cozinha de frente pra geladeira e enchia minha boca de comida e empurrava para caber mais (algo desesperador), para não engordar eu tomava laxante comecei tomando meio, depois um, depois dois, até só fazer efeito se eu tomasse 3 juntos. Resultado, EMAGRECI! Lógico que deu certo, a balança marcava que eu perdi 10 kilos em poucos meses mas no espelho parecia que eu não tinha mudado nada. Emagreci mais e mais….Cheguei aos 49 kilos sendo meu peso ideal 57.

Depois que emagreci fiquei com o boy, nossa foi massa nem te conto, eu a patinho feio tinha beijado o cara mais lindo do colégio … só que ele era um babaca. Descobri que além de beleza ele não era nada mais além daquilo, sabe quando alguém só fala besteira e você não tem muita paciência? Pois é.

Voltei a engordar quando minha mãe me viu no banho e disse que eu estava parecendo um judeu em um campo de concentração: magra, olhos fundos, cabeça grande. Feia. Olha como é a vida, depois de tanto esforço eu descobri que eu não estava parecendo uma modelo e sim uma pessoa doente.

Voltei a engordar mas nunca me achando bonita, sempre gordinha, sempre com bunda grande. Há uns três anos engordei mais, muito mais e meu IMC deu acima do peso, dessa vez eu me achava a pessoa menos atraente e menos interessante que andava pelo mundo. Parei de sair, não tirava fotos, não cortei mais o cabelo, nem usava mais maquiagem, vivia uma vida de dona de casa frustrada.

Passou o tempo…

Agora estamos aqui, com você falando sobre nudes e emagrecimento e eu imaginando que há 14 anos eu certamente estaria achando essa idéia ótima. Hoje eu não acho isso incrível, acho perigoso.

Depois de tanto tempo eu descobri que meu corpo é esse e eu nunca serei modelo, serei a Tay até o fim. E o que eu fiz para lidar com isso? Me aceitei, ainda acho que tenho que emagrecer um pouco mas não vou ficar louca com isso. Meu cabelo cacheado agora está solto, quase não prendo mais, nem aliso, tenho uma coleção de saias midi coladas que até marcam a minha barriga mas me sinto linda com elas e já uso blusa de alça.

Então Gabriela, deixa eu te dizer, você deveria rever a sua forma de lidar com o corpo. Ser bonita, sarada e magra  não deveria ser a única coisa que você tem a oferecer, o que torna alguém interessante é o discurso, a conversa, igual ao boy da escola você não está oferecendo nada além da aparência e eu não tenho paciência pra isso, sabe?

Mas presta atenção nas meninas de 14 anos que te seguem e estão hoje empurrando comida na boca e tomando laxante. Que tipo de “digital influencer” você quer ser? A do discurso ou a da aparência?

assinatura

4 thoughts on “Querida Pugli: Sobre ser gorda e ficar bem

    1. nossa Simone, obrigada. Esse assunto era um tabu meu a muito tempo não gostava de comentar mas receber esse tipo de comentário me faz saber que precisamos conversar mais abertamente sobre nossos problemas para ter uma vida mais leve. Gratidão.❤

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s